Wilson assegura que secretários de governo deixam pastas até dezembro para disputar eleições

14 de setembro de 2021 17:11
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

Na base de apoio do governo de Mauro Mendes (DEM), no parlamento estadual, o deputado Wilson Santos (PSDB) confirmou a decisão do governador, de liberar seus secretários de Estado até o final deste ano, que queiram disputar as eleições em 2022.

Assim, obviamente, os gestores das pastas deverão deixar os cargos até o dia 31 de dezembro.

A declaração foi dada em entrevista à Rádio CBN Cuiabá, na manhã de segunda-feira (13).

“Na última reunião do governador Mauro Mendes com a sua bancada, ele comunicou, oficialmente, de que todos os candidatos a cargos eletivos no ano que vem, deixarão o seu staff no dia 31 de dezembro deste ano. Está comunicado pelo governador e eu, como vice-líder dele na Assembleia, sou testemunha”, afirmou o parlamentar tucano.

Embora a legislação prevê que a exoneração ocorra até abril do ano que vem – 6 meses antes do pleito -, Mauro Mendes já sinalizou que seus secretários vão deixar as pastas até o final do ano para se dedicarem à campanha eleitoral.

Dentro da gestão Mauro Mendes, alguns nomes já surgem como possíveis candidatos. Entre eles, o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, secretário de Agricultura Familiar, Silvano Amaral, secretário de Educação, Alan Porto e o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Beto Dois a Um.

Dentre os secretários cotados, Wilson citou alguns nomes e não poupou elogios à eles. “Tem o Silvano Amaral, que faz um bom trabalho na Agricultura Familiar, o Beto Dois a Um, que tem sido uma revelação e tem uma carisma extraordinária e faz um trabalho que jamais foi feito na Cultura. Temos também o secretário Gilberto Figueiredo e vários outros. Todos esses quadros que ajudaram Mauro Mendes a governar Mato Grosso têm o direito legítimo de postular e representar a sociedade no parlamento estadual”, pontuou.

Santos ainda classificou como superado, a questão da insatisfação por parte dos colegas de parlamento em relação a sua postura com algum membro do governo. Mas admitiu que alguns parlamentares sentem ‘ciúmes’ dos secretários, apesar de ser algo ‘natural’. Revelando, inclusive, que os 24 deputados estaduais deverão concorrer à reeleição na Assembleia Legislativa.

“Eu acho que isso já está superado. Os 24 deputados estaduais são candidatos à reeleição, não conheço nenhum que vai pleitear candidatura federal, a senador ou governador, está todo mundo em campo. É natural quando alguém vê o secretário entregando uma máquina, fazendo um discurso mais entusiasmado, e acaba sentindo um pouco de ciúme, mas já tivemos uma conversa com o governador e há mais de mês está superado, principalmente, com a decisão do governador em definir uma data para a saída de todos esses pré-candidatos”, finalizou.