Não é fake news fiscalizar o governo, rebate Lúdio após pedido de investigação

26 de novembro de 2020 09:57
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

Foto: Reprodução

logo

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) criticou a postura do governo do Estado em exigir investigação sobre o suposto fechamento de 300 escolas, alegando que se trata de divulgação de fake news. Segundo o parlamentar, apesar da Secretaria de Educação (Seduc) afirmar que a informação é falsa, o secretário da pasta, Alan Porto, não esclareceu o assunto quando esteve na audiência na Assembleia Legislativa realizada na quarta-feira (25).

“Não se trata de fake news cumprir o dever de fiscalizar o governo. E o dever constitucional do governador é responder ao Parlamento”, explicou o deputado estadual ao .

“O que nós queremos saber é quantas e quais escolas o governo vai fechar e ainda não tivemos resposta. Na audiência o secretário não esclareceu isso, depois falou aos jornalistas que seriam 19 escolas, mas na audiência, onde deveria falar a verdade, não esclareceu”, criticou Lúdio.

Cabral foi citado em um pedido da Procuradoria Geral do Estado (PGE) para que a Polícia Civil investigue a divulgação de notícias falsas sobre o fechamento de 300 escolas. A Seduc nega o fechamento e afirma que apenas está reorganizando as escolas que têm salas ociosas.

Segundo o parlamentar, o número de cerca de 300 escolas chegou até ele por meio de denúncias de trabalhadores da educação de diferentes cidades do estado. “As notícias que chegaram para nós foram de trabalhadores das escolas de que o governo pretende fechar até 300 escolas. Questionamos formalmente o secretário de Educação, que deveria ter respondido, mas não respondeu”.

Para Lúdio a falta de uma resposta da Seduc, somada ao pedido de investigação da PGE mostram o jeito de governar de Mauro Mendes (DEM). “A iniciativa do governador só revela a cabeça autoritária de patrão que ele tem. A Assembleia é um outro poder e tem a prerrogativa de questionar o governador”.