Kardec admite pressão, mas diz que Pivetta “saiu pela porta da frente”

21 de outubro de 2020 17:07
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

O presidente do PDT em Mato Grosso, deputado estadual Allan Kardec, confessou ter sofrido pressão da Executiva Nacional diante dos posicionamentos do vice-governador Otaviano Pivetta desde as eleições de 2018, quando ele passou a manifestar apoio ao então candidato e atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido).Segundo ele, a situação apenas se complicou no último final de semana, quando Pivetta manifestou apoio à candidatura da coronel Fernanda (Patriota) na eleição suplementar ao Senado. A militar teve seu nome lançado na disputa pelo presidente.

Conforme Kardec, Pivetta já havia ensaiado a saída do partido por diversas vezes e, para evitar desgastes desnecessários, resolveu concretizar o pedido de desfiliação, deixando a sigla “pela porta da frente”.

“Como ele se posicionou na condição de apoio à coronel Fernanda, que é a candidata de Bolsonaro, isso fez com que o PDT tomasse algumas posições. Recebi cobranças da Nacional e de muitos apoiadores e afiliados. Então, ele pediu a desfiliação para ficar livre e não receber pressão do partido. Mas ele saiu pela porta da frente. Temos o maior respeito do mundo e só temos a agradecer tudo o que fez por nós”, afirmou.