Janaina recua da disputa pela Presidência e adere à chapa de Max como 2ª secretária

22 de fevereiro de 2021 18:03
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Olhar Direto

Horas depois da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar uma nova eleição da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (ALMT), a deputada Janaina Riva (MDB), que articulava uma chapa para disputar a presidência do Legislativo, recuou e decidiu aderir ao grupo do deputado Max Russi (PSB).

Conforme apurou o Olhar Direto, a parlamentar, que era vice-presidente, deve disputar o cargo de segunda-secretária. A chapa ainda será composta por Max, como presidente; Dilmar Dal Bosco (DEM), vice-presidente; e Eduardo Botelho (DEM), como primeiro-secretário. A formatação da nova chapa é debatida nesta terça-feira (22), na casa de Botelho, na Capital

A eleição da nova Mesa deve ocorrer em sessão nesta terça-feira (23), às 19h. As inscrições das chapas serão feita até às 17h. Além do grupo de Max, quem também articula uma candidatura à Presidência da Assembleia é Silvio Fávero (PSL).

Segundo informações de bastidor, Janaina recuou com a promessa de assumir em breve a cadeira de Botelho que, com a eventual aposentadoria de ao menos dois conselheiros do Tribunal de Contas (TCE-MT), que estão voltando as suas funções.

“Está sendo discutida a formação de chapas. É muito forte o movimento para que o deputado Max, que era primeiro-secretário, vá para a Presidência, e o presidente Botelho para a Secretaria geral. Estamos conversando. De imediato, há uma tendência de o MDB apoiar essa chapa”, disse o deputado Thiago Silva (MDB).

Além de Botelho (presidente), Janaina (1ª vice) e Max (1º secretário), Mesa deposta era formada por: Wilson Santos (PSDB), como 2º vice-presidente; Valdir Barranco (PT), como 2º secretário; Claudinei Lopes (PSL), como 3º secretário; e Paulo Araújo (Progressistas), como 4º secretário.

A Rede Sustentabilidade foi quem ajuizou, no STF, a Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de liminar, contra norma da Constituição do Estado de Mato Grosso que autoriza a recondução do presidente da Assembleia Legislativa.

O partido pediu que o dispositivo fosse interpretado de forma que a recondução seja vedada dentro da mesma legislatura ou em legislaturas diferentes.