Governo terá que pagar 560 milhões do VLT, para dar início ao BRT

25 de novembro de 2021 15:18
Publicado por:
Categorias: Bastidores

Foto: Governo de MT/Reprodução – Edson Rodrigues/Secopa
Tudo aquilo que começa errado, dificilmente acabará dando certo. Este é o drama do empacado VLT. Agora o Estado tem que pagar 560 milhões do empréstimo junto a Caixa Econômica Federal, referente ao Veiculo Leve sobre Trilhos, para poder lançar a licitação do BRT, que deverá custar mais de 600 milhões. 

O governador Mauro Mendes informou que já fez um pedido à Caixa, para pagar os 560 milhões em uma única parcela. Apenas depois desta quitação da pendência com o VLT, é que será possível
lançar a licitação do BRT. E ainda tem mais um “probleminha”. É que o Conselho Curador do FGTS, ainda não decidiu se poderá ser feita a mudança do modal, de VLT para o BRT. 
 
O novo modal definido por Mauro Mendes, não poderá usar os recursos que haviam sido aprovados para o VLT. A decisão foi tomada nesta quarta-feira pelo Tribunal de Contas da União. Fora tudo isso ainda existe uma briga judicial que deve se arrastar por muito tempo entre o Consórcio VLT e o governo de Mato Grosso, que rompeu o contrato com as empreiteiras. Por esse rompimento, o Consórcio quer ser ressarcido em 1 bilhão de reais, mas antes o governo estadual já cobrava uma indenização de quase 700 milhões de reais das empresas. Advinha quem vai pagar essa conta.