Exportações de frango seguem em alta

27 de novembro de 2020 08:56
Publicado por:
Categorias: Agronegócio, Notícias

Foto: Reprodução

Estratégia chinesa deve se manter

Agrolink Logo

De acordo com o mais novo relatório de perspectivas para o agronegócio brasleiro do Rabobank, mesmo com a projeção de aumento de 15% na produção chinesa de carne de frango este ano, após o incremento de 10% em 2019, os embarques para o país asiático se mantiveram crescentes este ano. “Isso mostra que o déficit de oferta de proteína animal para o consumidor interno, mesmo com o cenário da pandemia e isolamento social, ainda permanece.

Vale mencionar que além da PSA (Peste Suína Africana), a Gripe Aviária também se mantém ativa no território chinês e impactando negativamente na produção de frango em algumas regiões”, comenta.

“Devido à forte competitividade de preços com a carne suína e ciclo menor, a estratégia chinesa de elevar a produção de frango deve se manter em 2021, mesmo com as expectativas de maior recuperação do rebanho suíno, e projetamos um novo aumento de 10% na produção. Vale lembrar que consideramos no nosso cenário base, uma reabilitação do rebanho suíno chinês em níveis um pouco abaixo pré-PSA, pois entendemos que uma parcela da população que hoje está migrando para o consumo de frango será permanente”, completa.

Em 2020, no acumulado de janeiro a outubro, as exportações brasileiras de carne de frango registraram elevação de 1% em volume e queda de 12% em faturamento em dólar, mas que ainda beneficia as margens do setor, dado a desvalorização mais forte do real. “O principal destaque é o aumento de 26% nos embarques chineses, que atualmente representa 17% das exportações e se consolida por mais um ano como maior destino, enquanto Arábia Saudita e Japão, segundo e terceiro maiores importadores, reduziram as compras em 4% e 3%, respectivamente. O Rabobank projeta um novo aumento nas exportações de 1% em 2021”, conclui.