Emanuel gasta quase 16 vezes mais que Abílio por voto obtido para prefeitura de Cuiabá; saiba o custo por candidato

21 de novembro de 2020 09:43
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

Olhar Direto

Levantamento feito pelo Olhar Direto, com base nos dados apresentados à Justiça Eleitoral para a prestação parcial de contas das candidaturas dos que concorrerem ao Palácio Paiaguás, mostra que o custo por voto do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) foi quase 16 vezes maior que o de Abílio Júnior (Podemos) no primeiro turno.

O cálculo é baseado no valor referente às despesas da campanha dividido pelo número de votos obtidos no primeiro turno.

Segundo a Justiça Eleitoral, Emanuel Pinheiro gastou R$4.728.489,62 até o momento em sua candidatura e obteve na eleição do último domingo 82.367 votos. Sendo assim, cada uma das pessoas que conquistou ao seu lado ‘custou’ R$ 57,40.

Já Abílio Júnior teve uma despesa até o momento mais tímida, de R$ 332.108,95, segundo a Justiça Eleitoral. O custo por voto do candidato do Podemos foi de apenas R$ 3,66, levando-se em conta que ele foi escolhido por 90.631 pessoas no pleito do último domingo, o que lhe garantiu o primeiro lugar e a possibilidade de disputar o segundo turno.

A terceira colocada na disputa, Gisela Simona, gastou R$ 818.987,15 em sua campanha, segundo os dados. Cada um dos 52.191 votos que ela recebeu ‘custou’, em média, R$ 15,69. Roberto França teve uma despesa de R$ 1.114.848,79. Na quarta colocação, escolhido por 25,523 pessoas, o custo dele foi de R$ 43,68.

Até o final da eleição, os números podem mudar, já que as campanhas têm até um mês após o fim do pleito para fazer a prestação de contas final.

No ranking de doadores de Emanuel Pinheiro, a primeira colocação ficou com a direção nacional do MDB, que enviou R$ 620.900,00. Depois, aparecem: direção estadual do Progressistas (R$ 225 mil) e Francisco Antônio Vuolo (R$ 30 mil). Ao todo, ele arrecadou até o momento R$ 1.678.752,05.

Já a campanha de Abílio tem como seus principais doadores: direção nacional do Podemos (R$ 150 mil); direção estadual do Podemos (R$ 80 mil) e Décio Arantes Ferreira (R$ 30 mil). Também chama atenção a doação do vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro, antigo aliado de Emanuel Pinheiro e que rompeu com o atual gestor. Ele encaminhou R$ 24 mil à chapa formada pelos vereadores. Ao todo, ele arrecadou até o momento R$ 615.345,71.

Confira as dados dos dois candidatos que disputarão o segundo turno em Cuiabá:  

Emanuel
R$ 4.728.489,62 – despesas
82.367 – votos
Custo por Voto: R$ 57,40

Abílio
R$ 332.108,95 – despesas
90.631 – votos
Custo por Voto: R$ 3,66