Emanuel acusa Mauro de usar a máquina para tirá-lo da prefeitura e chama Abílio de “marionete”

20 de novembro de 2020 10:00
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

Foto: Assessoria

Prefeito disse que adversário contratou a maior produtora e equipe de marketing bancado pelo chefe do Governo do Estado

https://www.folhamax.com/

Num discurso inflamado na noite desta quinta-feira (19), durante ato de campanha do segundo turno, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), partiu para o enfrentamento e bateu duro contra seu adversário, Abílio Júnior (Podemos), e o governador Mauro Mendes (DEM), acusando-o de usar a máquina pública do Estado para alavancar a candidatura do vereador. Conforme Pinheiro, o democrata está colocando toda a estrutura pública do Governo do Estado para defender um projeto individual de um grupo, que segundo ele, representa o “retrocesso, a mentira, o ódio e desrepeito às mulheres e às minorias”. Foi além e classificou o adversário como um “bibelô, um fantoche” de Mauro Mendes.

“Não se enganem, a nossa administração, cuidando com todo zelo e todo amor de Cuiabá está incomodando as maiores autoridades desse Estado. A máscara está caindo e é importante divulgar isso em todos os cantos de Cuiabá. Quem está patrocinando o nosso adversário é o Palácio Paiaguás, o governador do Estado, tomado pelo ódio e pelo rancor, busca o poder pelo poder e dominar, além do Estado, a Prefeitura de Cuiabá para atender seus interesses políticos e interesses privados”, discursou Emanuel no Hotel Fazenda Mato Grosso, situado na região do Coxipó, na Capital, sendo ovacionado pelos participantes do envento no qual ele lançou a “Onda Coração 15 por Cuiabá” e conclamou a população cuiabana a ajudar a massificar suas propostas e pedir votos aos amigos, conhecidos e familiares.

Diante dos rumos da campanha de Abílio Júnior, que foi o mais votado no primeiro turno com 33,72% dos votos e vem conseguindo apoio de importantes lideranças políticas e de candidatos derrotados a exemplo de Gisela Simona (PROS) e Roberto França (Patriota), Emanuel afirmou que é o momento de reagir e mostrar força para enfrentar e vencer o adversário. “Nós temos que reagir a essa agressão, a essa violência contra a soberania da Capital de Mato Grosso. Até bem poucos dias atrás, o nosso adversário vendia que tinha uma campanha franciscana, uma campanha humilde que não gastou e não tem condições de gastar nenhum recurso sequer e hoje, daqui a poucos dias, vocês vão ver, articulado pelo próprio governador do Estado, usando recursos públicos do estado de Mato Grosso, contratou a maior produtora da Capital e um dos mais caros marqueteiros desse Estado para administrar a campanha do nosso adversário. Isso quer dizer que o nosso adversário se transforma num bibelô, numa marionete dos interesses privados do governador do Estado”, reagiu o emedebista.

No primeiro turno, Emanuel teve 30,65% dos votos numa disputa que tinha 8 candidatos. Agora, espera conseguir reveter o placar desfavorável para comandar o Palácio Alencastro por mais 4 anos e dar continuidade às obras que ele vem lançando. “É guerra pessoal, é guerra. Querem nos tirar a todos custo da Prefeitura porque não somos menino de recado porque não somos marionete, porque não somos maria vai com as outras, porque queremos o apoio do povo cuiabano e queremos a população ao nosso lado. Então, é necessário entender bem quem são os nossos adversários e quem está patrocionando os nossos adversários”, disparou Emanuel Pinheiro.

Durante o discurso, o prefeito acusou Mauro Mendes, na condição de representante do Governo do Estado, de ser irresponsável e trair Cuiabá por se aliar ao vereador Abílio e fazer campanha contra a reeleição do emedebista. “Não interessa o preparo e a experiência de quem vai assumir a prefeitura, o que importa é tirar a força popular e democrática do 15 da Prefeitura de Cuiabá. Não vão conseguir, porque nós temos vocês, temos o povo cuiabano e vamos reagir. Vamos enfrentar, vamos à luta para continuar conquistando o coração da gente cuiabana. Esta gestão respeita o servidor público, respeita as mulheres e o empoderamento da mulher em Cuiabá. Esta gestão respeita as minorias e o direito consagrado das minorias, é a gestão do amor, do agregar, do construir, do fazer e do realizar pela população cuaibana. Por isso temos que partir pra cima do modelo totalitário que está no Estado de Mato Grosso e quer violentar os direitos da população cuiabana, o desmonte que eles patrocinam no serviço público”, discursou Pinheiro.

Ainda, segundo Emanuel Pinheiro, o grupo encabeçado por Abílio Júnior, tendo Felipe Wellaton (Cidadania), também vereador por Cuaiabá e agora com total apoio do governador e da primeira-dama, Virgínia Mendes, representa o retrocesso, a desvalorização do funcionalismo público. “O desrespeito, a arrogância, o despreparo, a raiva e o ódio que disseminam contra os servidores públicos estaduais merece o nosso repúdio e nossa solidariedade aos servidores públicos de Mato Grosso. A máscara caiu, o ódio que toma conta dos nossos adversários vai encontrar aqui um grupo unido, uam verdadeira familia que tem a melhor gestão, que tem as melhores propostas e que vai de casa em casa, no corpo a corpo com toda a família humildemente pedir votos para quem tem compromisso com Cuiabá”, colocou Emanuel.

Por fim, ele disse que no dia 29 deste mês será um dia histórico para Cuiabá. “Vamos lançar a “Onda Coração 15 por Cuiabá”, pelo povo cuiabano, pela população cuiabana, pela gente cuiabana. Portanto, peço a todos que mantenham essa energia contagiante, que mantenham esse sentimento de avanços, de mudanças porque nós somos a mudança, nós implantamos juntos a mudança na aplicação, no investimento dos recursos públicos e na gestão pública da nossa Capital. Não podemos deixar que um grupo contra o servidor, contra as mulheres, contra as minorias, o grupo da intolerância possa querer desbancar décadas e décadas de avanços na sociedade cuiabana”, ressaltou o emedebista afirmando não ser o atraso e nem o retrocesso.