Campo Grande já vacinou 706 mil pessoas; Cuiabá, só 334 mil

21 de julho de 2021 17:51
Publicado por:
Categorias: Notícias, Política

O prefeito Marcos Trad, de Campo Grande, e Emanuel Pinheiro: diferença na eficiência – Foto: Divulgação

Prefeito Marcos Trad abriu 55 postos de vacinação, enquanto Emanuel Pinheiro insiste em apenas 5

Capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande já conseguiu vacinar 31,16% de sua população com a 2º dose e dose única contra a Covid-19.

Enquanto isso, Cuiabá chegou a apenas 13,87% da população com a imunização completa.

Em números totais, Campo Grande já vacinou 706.789 pessoas, de um total de mais de 900 mil habitantes, com pelo menos com a 1º dose da imunização.

Já Cuiabá conseguiu imunizar 334.420 pessoas com pelos menos a primeira dose da vacina.

A diferença entre as duas cidades reflete também no raking nacional do Estado, em que Mato Grosso do Sul consegue ocupar as primeiras posições, enquanto Mato Grosso ocupa uma das últimas.

 

Eficiência e 55 postos de vacinação

Uma das principais diferenças entre as duas capitais é a quantidade de postos de vacinação abertos.

Enquanto Cuiabá disponibiliza cinco locais para que a população possa se imunizar, Campo Grande investe na descentralização, com 55 espalhados por todo Município.

Hoje em Cuiabá, a população pode se vacinar no Sesc Balneário, Senai do Porto, Assembleia Legislativa, Sesi Papa e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Estes dois últimos são na modalide drive-trhu.

Diferente daqui, a aposta da Capital do Mato Grosso do Sul é de espalhar os postos de imunização por diversas regiões da cidade mantendo, assim, o fluxo contínuo.

Em Campo Grande são 48 unidades de saúde e mais sete pontos estratégicos – sendo quatro deles na modalidade drive-thru.

A estratégia de imunização de Cuiabá já vem sendo criticada há algum tempo por políticos como vereador Dilemário Alencar (Podemos), que atribuiu a lentidão da vacinação à não abertura de novos postos.

Segundo o parlamentar, a Prefeitura deveria instalar postos fixos em bairros pólos e enviar unidades itinerantes aos distritos e na zona rural a fim de facilitar o acesso da população. Assim como é feito em Campo Grande, em que as unidades de saúde que vacinam ficam em pelo menos 6 regiões da cidade.

“O prefeito Emanuel Pinheiro deveria ter um pouco de humildade e seguir os bons exemplos. Não é à toa que Campo Grande vem se destacando no cenário nacional”, afirmou.