PSDB: “faltou habilidade para Taques”

taques-pauloborges.jpg

Foto: Reprodução

O presidente regional do PSDB em Mato Grosso, Paulo Borges, acredita que faltou habilidade política ao governador Pedro Taques (PSDB). Em seu entendimento, o gestor tucano fez uma ótima administração a frente do Palácio Paiaguás, nas não teve traquejo político para lidar com seus aliados, e também com a população mato-grossense.

Para ele, isso influenciou diretamente o resultado nas urnas. “Temos que aceitar a derrota com humildade. O governador Pedro Taques foi excelente como administrador, governou o Estado de Mato Grosso muito bem, mas faltou habilidade política, tanto que perdemos a eleição para nossos próprios aliados”, disse.

Taques ficou na terceira colocação com 19% dos votos válidos, o equivalente a 271.952 votos. O tucano ficou atrás até mesmo do senador Wellingotn Fagundes (PR), que teve 19.56% dos votos válidos, 280.055 votos.

Mendes, por sua vez saiu vitorioso com 58.69% dos votos válidos. O democrata, que liderou as pesquisas de intenção de voto durante toda a campanha eleitoral, teve 840.094 mil votos.

Esta é a primeira vez na história do Estado que um chefe do Executivo não consegue ser reeleito.

No que tange o posicionamento da legenda durante a futura administração de Mauro Mendes, Paulo Borges afirma que o PSDB fará uma reunião com todos os dirigentes após a eleição do 2ª turno para presidente.

Ele, entretanto, defende que a legenda adote uma postura de independência. “Acho que naquilo que for bom para Mato Grosso nós temos que apoiar, e aquilo que acreditarmos que não seja necessário fazermos nossos apontamentos. Mas acredito que Mato Grosso não precisa de uma oposição ferrenha”, disse.

Neste ano, a agremiação tucana elegeu apenas dois deputados estaduais. Trata-se de Wilson Santos e Guilherme Maluf. Nesta legislatura, o PSDB tinha quatro parlamentares em sua bancada. O deputado Saturnino Masson tentou a reeleição mas ficou de fora. Já Baiano Filho desistiu de disputar a reeleição para apoiar a candidatura de Mendes ao Governo do Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *