Após liberação, MDB avaliará apoio a Emanuel

De acordo com o secretário-geral do MDB, deputado Silvano Amaral (MDB), a decisão de Emanuel Pinheiro em não seguir o partido em 2018, poderá refletir em sua reeleição.

Logomarca2017

Foto: João Vieira

Secretário-geral do MDB e deputado estadual, Silvano Amaral (MDB) acredita que o pedido de liberação do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), para apoiar a candidatura do senador Wellington Fagundes (PR) ao governo e não a de Mauro Mendes (DEM), será aceito pela sigla. Porém, o apoio do MDB em uma eventual candidatura de reeleição, em 2020, será debatido.

“Se ele não acredita em outro projeto e quer apoiar, tudo bem. Não terá dificuldades criadas pelo partido para que possa fazer isso. Mas futuramente essa postura dele será avaliada. Lá Na frente ele vai querer o o apoio do partido. Mas por que quer o apoio do partido agora se quando o partido quer seu apoio ele não está?”, questionou o deputado.

Segundo Silvano, todos os militantes sempre terão o apoio da legenda, assim como a legenda espera o apoio de seus filiados. “Essa é a minha opinião enquanto filiado do MDB e não como secretário-geral que estartia emitindo uma opimião partidária”, ponderou.

Silvano Amaral também explicou que quando o pedido de liberação chegar no partido, a Executiva irá se reunir para decidir. “O nosso candidato é o Mauro Mendes. O partido decidiu pelo Mauro. Então não adianta ele ficar de faz de conta com a gente. ‘A porque eu sou soldade do partido’. Se ele não gosta, não acredita e não apoia. Ninguém faz política sem vontade. Então não vejo problema em liberá-lo”.

O MDB já liberou a deputada estadual Janaina Riva (MDB) para apoiar Wellington Fagundes (PR) ao governo. Já em relação aos senadores da chapa, Jayme Campos (DEM) e Carlos Fávaro (PSD), ela deverá manter o apoio.

Foto: João Vieira

Na última quarta-feira (8), o prefeito da capital afirmou publicamente que pretende pedir autorização dos emedebistas para apoiar Wellington ao governo.

“Tenho maior respeito pelo meu partido, sou grato ao meu partido. Mas democracia é isso, a gente pensa diferente e às vezes se posiciona de forma diferente”, disse Emanuel Pinheiro ao revelar que irá conversar com o partido sobre o assunto.

O clima entre Pinheiro e Mauro Mendes (DEM) piorou desde as eleições de 2016, quando os dois chegaram a trocar acusações por conta da gestão Mendes. Enquanto Emanuel Pinheiro usou algumas críticas da gestão Mendes em seu horário eleitoral, o ex-prefeito rebateu as acusações.

Recentemente Mauro Mendes chegou a insinuar que Emanuel Pinheiro estaria apoiando a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *